Buscar

O que pai da Inteligência Emocional tem a ver com o universo bancário?


Você já ouviu algo sobre o Daniel Goleman? Se ainda não o conhece, recomendo que procure por mais informações. Daniel é um californiano de Stockto, nascido em 1946, e autor do Best-seller Inteligência Emocional, lançado em 1995, obra que foi traduzida em mais de 30 idiomas.


E então você me pergunta: “Paula, o que ele tem a ver com banco?”.


No Fórum Econômico Mundial do ano de 2018, ano passado, fizeram uma lista das competências que todo profissional deverá ter até 2020, e uma das competências é exatamente a Inteligência Emocional que Daniel tanto fala.


O que seria esse termo? Inteligência Emocional, de uma forma mais resumida, é a capacidade que o indivíduo tem de identificar, entender e controlar suas emoções diante das situações ao longo de sua vida. Pois, embora exista alguns fatores genéticos que contribuem para o desenvolvimento dessas emoções, os circuitos cerebrais são maleáveis e podem e devem ser desenvolvidos. Goleman diz que temperamento não é destino e é isso que devemos entender.


Para estar na lista das 10 competências do Fórum Econômico Mundial, essa habilidade é, de fato, importante. O fracasso ou o sucesso profissional está diretamente ligado ao controle de nossas emoções.


Você controla suas emoções ou chega estressado no banco por algum motivo e já passa o dia inteiro levando tudo de maneira negativa? Ou se estressa por conta das cobranças e clientes difíceis que teve?


Primeiramente, pare e reconheça suas emoções. Você nunca saberá lidar bem com algo se desconhece.


Após conhecer seus sentimentos e emoções, você começa a trabalhar o controle emocional. Essa é a habilidade de lidar com seus sentimentos a partir de determinadas situações, e se adequar a elas. Se tiver frustrado, por exemplo, fazer algo que eleve sua autoestima, que te deixe sair daquela negatividade e te ajude olhar por outros ângulos é o ideal, e não se afundar e lamentar eternamente.


Se você já tem o controle emocional bem trabalhado, fica muito mais fácil ter automotivação, e ela fará muita diferença no seu dia a dia. Imagina trabalhar mais feliz todos os dias? Isso é possível, e só depende de você. Se automotivar é saber administrar o que sente e direcionar para um ponto X. E quanto mais estivermos motivados, mais encontraremos prazer no que fazemos, logo, trabalharemos com mais eficiência e alegria.

O desânimo que bate quando recebemos um “não” é totalmente descartado quando se tem uma boa Inteligência Emocional. Não há desmotivação, não há nada que nos abale profundamente ao ponto de perdemos a direção. Pelo contrário, esse “não” será transformado em vários “sins”.


A partir do momento que você compreender que suas competências emocionais podem e devem ser trabalhadas, sua vida profissional florescerá. Todo ser humano tem a capacidade de desenvolver e aprimorar essas habilidades, e transformar sua vida, vendo novas maneiras de pensar e agir.


No programa Bancários de Sucesso damos ênfase na Inteligência Emocional, pois sabemos que ela é crucial para o sucesso ou fracasso do bancário.

Somente uma pessoa pode fazer a evolução necessária para o progresso de sua carreira no banco: você.


Então, procure conhecer e dominar as competências do futuro, e trabalhe muito sua inteligência emocional, pois ela é uma das principais competências para você se manter no mercado de trabalho. A decisão é sua, e a vitória também será!


Abraços.

Paula Queiroz

113 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 Bancários de Sucesso

Todos os direitos reservados